segunda-feira, 23 de julho de 2007

O cio: começo de vida ou "empecilho"?

Para todos aqueles que possuem cadelas, ou pensam vir a ter, é deveras importante definir-se se a querem como reprodutora ou não. O cio de uma cadela tem diversas fases que podem dizer ao dono quando a devem cruzar ou evitar que seja coberta.

Normalmente, a cadela atinge a sua maturidade sexual por volta dos 6 meses, mas há grandes variações entre raças e indivíduos. Por vezes, as fêmeas de raças grandes demoram mais tempo até chegar o primeiro cio. Também é normal que quando há mais que uma cadela o cio se atrase um pouco.

O intervalo entre cios é geralmente de 6 em 6 meses, mas tal como no início do cio cada cadela pode aumentar ou diminuir este intervalo. Nas cadelas mais velhas é frequente verificar-se um intervalo maior, mas nunca atingem a menopausa.

Normalmente no primeiro cio as fêmeas aprendem a manter-se limpas, lambendo-se com frequência para evitar ficar sujas de sangue. Para cadelas de apartamento é recomendável o uso de cuecas higiénicas, mas lembre-se que as cadelas necessitam de algum tempo para se habituar a elas.
O ciclo sexual das cadelas é dividido em 4 fases:

Proestro – manifesta-se por um inchaço da vulva e corrimentos. Nesta fase a cadela exerce forte atracão sobre os machos, mas recusa a cópula. A região genital externa das cadelas (vulva) começa a inchar e observa-se um sangramento de leve a moderado. Chamamos de primeiro dia do cio, o dia em que se observa o início do sangramento

Estro – é a fase durante a qual a fêmea aceita o macho. Nesta fase a vulva continua inchada, mas normalmente, o corrimento é bastante reduzido ou inexistente.
- Caso queira acasalar a sua cadela este é o período indicado e normalmente vai do oitavo ao décimo quinto dia após iniciar o corrimento. É recomendável uma escolha minuciosa do macho reprodutor.
- Não é aconselhado que se cruze a cadela em todos os cios. Isso porque o processo de gestação, parto e amamentação é muito desgastante. O ideal é que se acasale a fêmea num cio e se deixe descansar no próximo.
- Para aqueles que não desejam que a cadela acasale, o ideal é isolar a fêmea, este isolamento deve ser meticuloso, pois elas vão tentar arranjar maneira de se escapar. Não se deixe enganar pelas diferenças de tamanho entre machos e fêmeas. Nesta fase eles dão "um jeito" e tornam-se verdadeiros contorcionistas...
- A esterilização é uma excelente opção para quem não quer que a sua cadela tenha bebés. Uma vez esterilizada, a fêmea não terá o inconveniente do cio. O uso de anticoncepcionais não é um método totalmente seguro para a saúde do animal.

Metaestro – período da gestação, parto e lactação para as cadelas que efectivamente cruzaram. Neste período, algumas cadelas que não acadsalarm apresentam sintomas de gravidez, é a chamada Gravidez Psicológica.

Anestro – período de descanso sexual.

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Alimentos perigosos para o seu cão

Os cães adoram chocolate, mas este, em determinadas doses, é fatal (o mesmo pode acontecer aos gatos e aos cavalos). O chocolate contém teobromina, um estimulante quimico em conjunto com a cafeína e a teofilina. Os cães não tem a capacidade de metabolizar a teobromina com eficiência. Este quimico pode permanecer na corrente sanguínea durante 20 horas, horas essas em que os cães podem sentir batimento acelerado do coração, alucinações, diarreia, ataques epiléticos e cardíacos e possívelmente a morte.

30 gramas de chocolate por cada quilo do corpo do animal já é uma dose venenosa.
No caso de o seu animal ingerir acidentalmente chocolate, contacte o veterinário imediatamente para que o veneno seja controlado. Uma das primeiras medidas a tomar é provocar o vómito, caso a ingestão tenha sido á menos de duas horas.

Uvas e passas causam falhas renais. O mecanismo que o provoca não é conhecido, mas sabe-se que há raças cujas uvas podem ser fatais, e raças que já comeram várias e não houve efeitos indesejáveis.

As cebolas causam anemia hemolitica nos cães e nos gatos. O tiosulfato não é afectado ao cozinhar. Alguns bebés já morreram ao estarem expostos a algumas quantidades de cebola.

Algumas avelãs podem causar tremores e hipertermia, para além de dores abdominais.

O alcool é tão trágico para os cães como para os seres humanos. Para além disso, a planta usada no fabrico das cervejas, causa hipertermia fatal nos cães.

Tal como os seres humanos, os cães podem ter certas alergias a determinados alimentos.

segunda-feira, 9 de julho de 2007

Dar banho ao seu cão!

Dar um banho ao seu cão é bastante importante pois permite-lhe, não só ficar com um melhor aspecto físico como também evitar a proliferação de eventuais parasitas.
Relativamente à frequência de banhos um cão em condições normais, não deve tomar banho mais de três ou quatro vezes por ano. Banhos excessivos podem ser prejudiciais uma vez que estes destroiem o filtro de protecção do pêlo.

Quando os cães se sujam nas suas brincadeiras é suficiente um duche rápido com água morna e sem qualquer tipo de champô, aliás não submeta o pêlo do seu cão a champôs sem que isso seja realmente necessário.

Dar Banho ao Cão...
A forma mais indicada de dar banho ao cão é ao ar livre, apenas em caso de extrema necessidade deve usar a sua casa de banho. Desta forma, poupará a sua casa e obviamente terá mais espaço tanto para o cão como para si.
Para um banho completo coloque o cão num alguidar, molhe totalmente o seu pêlo e espalhe champô. Depois de esfregar e massajar bem, retire todo o champô com muita água limpa e tépida. Deixe sempre o seu cão sacudir livremente a água e nesta fase prepare-se para levar um banho!
Seque o cão com uma toalha ou com um secador eléctrico (habitue-o a este electrodoméstico pois pode vir a ser-lhe bem útil, tenha é sempre cuidado para evitar queimaduras).

terça-feira, 3 de julho de 2007

Pensamento do Cão

Os mal-entendidos entre homem e cão resultam das diferentes maneiras de pensar de cada um. O homem tem capacidade de abstrair os pensamentos, de pensar em termos de passado, presente e futuro, e de analisar e tirar conclusões dos acontecimentos. Por outro lado, o cão pensa de uma forma simplista e não distingue o que é bom e o que é mau. O cão só pensa no imediato, visto não ter capacidade de abstração de pensamentos e, por isso, logo não tem uma visão moral do que faz.


Só se consegue actuar sobre o comportamento canino, se se estimular o comportamento desejado à custa da oferta de recompensas. Assim, o cão vai gostar de obedecer, porque este acto está ligado a uma sensação agradável. Em contrapartida, deve-se repreender um comportamento errado com um castigo que o cão consiga perceber.
Memorize: Louvar e recompensar o cão quando ele obedece e faz um acto que queremos e repreender o seu mau comportamento ou um acto que não aceitamos, são atitudes muito lógicas, desde que devidamente enquadradas.
Aprenda a recompensar o seu canito e estimulará a sua aprendizagem!