quinta-feira, 28 de junho de 2007

Responsabilidades Básicas com o seu cão

Quando decidir ter um cão como animal de companhia, pondere todas as questões inerentes à qualidade de vida e disciplina do seu animal.

1. Escolha um veterinário que acompanhe o seu cão logo desde os primeiros dias.

2. Tenha em atenção se lhe aplicam todas as vacinas necessárias. Defina com o veterinário o plano de vacinação adequado ao cão.

3. Ensine o seu cão para que responda aos comandos básicos. Deste modo terá sempre o controlo podendo proteger o cão de perigos exteriores.

4. Crie hábitos de alimentação rígidos quer em quantidade e qualidade, quer em periodicidade diária das refeições.

5. Mantenha o seu cão em segurança, não o deixe fugir para a rua onde existem perigos para os quais não se saberá defender e proteger.


6. Não deixe o seu cão à solta livremente em locais onde existam crianças a brincar. Uma vez que ambos não sabem medir os perigos da relação, facilmente surgem conflitos perigosos.

7. Mantenha o seu cão num clima de tranquilidade. Muita agitação provoca alto stress ao animal conduzindo a um comportamento desviante.

8. Proporcione ao seu cão um local que seja só dele onde possa dormir descansado longe da habitual e atarefada rotina diária do lar.

9. Mantenha o seu cão limpo e consulte periodicamente o médico veterinário.

10. Dedique alguns minutos diários para observar o seu cão. Tente descobrir se este tem algum comportamento ou aparência fora do normal. Através da observação atenta pode descobrir indícios de alguma doença ou maleita, podendo intervir antecipadamente.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Como escolher uma boa raçao

Todos os donos se deparam com o mesmo problema quando se dirigem pela primeira vez a uma loja de animais e se vêem confrontados com dezenas de rações diferentes: "qual será a melhor ração?'"

Na verdade, a resposta a esta pergunta não é imediata, mas há algumas pistas que se poderão seguir de modo a escolher o melhor possível.


Exclui-se qualquer tipo de comida gelatinosa já que esta contém substâncias açucaradas para prevenir o aparecimento de fungos, para além de conservantes altamente cancerígenos. Para piorar o cenário, este tipo de alimento é viciante. Ou seja, um cão depois de o comer irá recusar a ração.


Não é garantido que a melhor ração para um determinado cão o seja para um outro, já que cada caso é um caso, mas há certas linhas gerais que poderão ser seguidas de modo a que haja um encaminhamento no melhor sentido.

O primeiro ponto a salientar é que se deve dar sempre primazia aos ingredientes em detrimento da composição, já que ingredientes de boa qualidade darão obrigatoriamente uma boa análise química. O rótulo deve ser claro e sem ambiguidades. Isto é, se aparecer uma denominação como “produto de ovo” nunca saberemos se se está a falar de ovos frescos ou ovos podres. O mais provável é tratar-se desta última situação.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Porque não ter um cão?

Pondere muito bem e avalie as repercussões das suas atitudes.

Um cão é um “investimento” para a vida, implicando despesas mensais relativas quer no que se refere à alimentação, vacinação e cuidados especificos.

É necessária uma certa dose de paciência para o ensinar a ir à rua fazer as suas necessidades, e ensinar-lhe que roer um sapato ou roer um móvel não é positivo.

Portanto, não deve nunca, comprar ou adoptar um cão:

Por impulso;
Para dar ao filho de 4 anos pelo Natal;
Para oferecer sem saber se a pessoa a que se destina realmente o quer;
Porque é bebé, parece um “ursinho” ou uma bola de pelo;
Se não tem condições monetárias para o manter;
Se está a pensar ter um bebé e tem medo de alergias;
Se não tem onde o deixar nas férias e não pretende levá-lo consigo;
Se não tiver tempo e/ou disponibilidade para ele;
Se tem dificuldades em disciplinar, lembre-se sempre, que um cão necessita de disciplina.

Lembre-se ainda que sempre, independentemente se é verão ou Inverno, se chove ou se faz calor, um cão necessita de exercício diário, ou seja, precisa que lhe dedique algum do seu tempo.


Após ponderar todas estas condições caso continue a querer um amigo para toda a vida! Não hesite mais, compre/adopte o seu cão!

terça-feira, 5 de junho de 2007

Cães Dadores de Sangue

Para que o seu cão possa doar sangue é necessário:

- Ter pelo menos 25 kg de peso,
- 2 a 6 anos de idade,
- Ser saudável,
- Estar vacinado.

Raças como o labrador são as mais indicadas, pois são cães muito meigos e calmos.

O cachorro dador não pode dar sangue mais do que duas vezes por ano e somente uma pequena parte do seu sangue é retirado. O processo não é doloroso e somente algum pêlo terá de ser cortado na região do pescoço onde é efectuada a colheita.
A sáude do dador não é prejudicada de forma alguma