terça-feira, 19 de agosto de 2008

Cães-Guia

O Cão-guia é um cão que tem uma tarefa especial: guiar os invisuais, concedendo-lhes autonomia, liberdade e compreensão perante as fortes dificuldades com que se deparam no dia-a-dia. Por exemplo, evita que o cego choque com os obstáculos, ajuda-o a encontrar a entrada dos locais onde pretende dirigir-se, procura um multibanco ou um telefone público, encontra a passadeira para peões e até impede que pise poças de água e excrementos de outros animais. Devido ao esforço e trabalho de ajuda por parte do cão-guia, é merecido que este receba amor, cuidados e respeito.

Estes cães passam por um rigoroso treino de dois anos, realizado em escolas especializadas para o treino de cães-guia. Estas escolas não fazem só o trabalho de treino de obediência como, geralmente, também criam, educam e tratam do encaminhamento destes cães para quem mais necessita deles.

Além do treino, é necessário haver uma perfeita harmonia entre o cão-guia e o utilizador. Por isso, as escolas encarregam-se também do importante passo que é a socialização e a integração entre os dois elementos da unidade de trabalho (Cão e Homem).
Este amigo de quatro patas torna-se ainda numa excelente companhia para o invisual. Além disso, tem-se tornado num factor de aumento de auto-estima e representa uma extraordinária melhoria na qualidade de vida da pessoa cega, ao nível da sua autonomia independência.

O arnês é o acessório indispensável ao bom funcionamento e à segurança da dupla cego/cão-guia.

As raças mais utilizadas como Cão-Guia são basicamente três: o Labrador Retriever, o Pastor Alemão e o Golden Retriver.

Por último, é ainda importante informar que em Portugal existe uma escola sem fins lucrativos que prepara tanto os cães como os deficientes invisuais para o trabalho em equipa.

Mais infos sobre os cães-guia:
http://www.cpuc.org.pt/cao-portugal.html